Fale Conosco

Notícias

Eduardo Paes sai em defesa do vereador Cesar Maia, que participou de sessão virtual da Câmara sentado em vaso sanitário

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD) saiu em defesa do vereador carioca Cesar Maia (PSD), que apareceu sentado em um vaso sanitário durante uma sessão plenária na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, na última quarta-feira (5).

“O lixo e a inconsequência de alguns personagens nas redes sociais não fazem nem cosquinhas no grande legado que o Cesar Maia tem nessa cidade e nesse país!
Meu respeito e admiração sempre”, afirmou o prefeito carioca.

Eduardo está em seu terceiro mandato como prefeito do Rio de Janeiro. Foi comandante do executivo municipal de 2009 a 2017.

Rodrigo Maia (PSDB-RJ), que é filho de Cesar e ex-presidente da Câmara dos Deputados, afirmou que o episódio apenas destaca a grandeza de seu pai.

“O recente acontecimento envolvendo Cesar Maia destacou ainda mais a sua grandeza como ser humano e político. O carinho demonstrado por muitos nas redes sociais, através de mensagens e manifestações, só reafirma a sua importância na política carioca e nacional. Agora é continuar trabalhando pela cidade que poucos conhecem tão bem, seguindo defendendo os interesses de todos cariocas. Te amamos”, afirmou o ex-presidente da Câmara em um post no Instagram.

Rodrigo Maia foi deputado federal pelo Rio de Janeiro entre 1999 e 2023, tendo presidido a casa entre 2016 e 2021. Foi o presidente da Câmara mais longevo desde a redemocratização do Brasil.

O ex-deputado federal e atual presidente da Embratur, Marcelo Freixo, afirmou que Cesar é “exemplo de luta e superação”. Freixo foi candidato a governador pelo estado do Rio de Janeiro em 2022, Cesar Maia foi seu candidato a vice na ocasião.

Quem é Cesar Maia

Maia é um político emblemático do Rio. Atualmente no terceiro mandato como vereador, ele foi o prefeito que mais permaneceu tempo no cargo – um total de 12 anos, após ter vencido as eleições municipais em 1992, 2000 e 2004.

Nascido e criado na cidade do Rio, Maia começou uma graduação em Engenharia na Universidade Federal de Ouro Preto, em Minas Gerais, na década de 60. Então militante de esquerda, foi preso durante a ditadura militar e se exilou no Chile em 1968, onde conheceu a esposa.

Ainda no exílio, o ex-prefeito estudou Economia na Universidade do Chile junto com o ex-governador José Serra (PSDB) e se formou em 1972.

No ano seguinte, Maia retornou para o Brasil e foi preso ainda no aeroporto. Ficou detido por 3 meses, mas foi liberado após o arquivamento do processo por falta de provas.

Sua carreira política se iniciou em 1981, após se filiar ao PDT de Leonel Brizola. Após a vitória de Brizola nas eleições, Maia foi chamado para atuar como secretário da Fazenda, e posteriormente também ocupou o cargo de presidente do Banco do Estado do Rio de Janeiro e da Distribuidora de Títulos e Valores Imobiliários do Estado do Rio de Janeiro.

Com a notoriedade obtida durante o governo do pedetista, Maia se elegeu deputado federal nas eleições de 1986, após o fim do regime militar. Reeleito em 1990, ficou na Câmara dos Deputados por dois mandatos.

Em 1992, Maia ocupou seu primeiro cargo eletivo no poder Executivo ao ser eleito prefeito do Rio de Janeiro.

Seu mandato foi marcado por uma série de projetos de urbanismo (Rio-Cidade, Favela-Bairro, Linha Amarela), bem como por uma reforma administrativa e pela criação das primeiras ciclovias do país.

Sem concorrer à reeleição em 1996, Maia conseguiu emplacar seu secretário de Urbanismo, Luiz Paulo Conde, na prefeitura carioca. Em 1998, tentou se alçar ao governo do estado, mas foi derrotado por Anthony Garotinho.

Em 2000, desta vez no PTB, Maia volta a ser prefeito do Rio, derrotando o ex-aliado Luiz Paulo Conde, e se mantém no cargo por dois mandatos. Ao longo dos oito anos, foi responsável pela criação da Cidade do Samba, das Vilas Olímpicas, do Museu Cósmico e do Estádio Nilton Santos, do Botafogo.

Também construiu o Velódromo Municipal do Rio e a Cidade das Artes, entre outras obras voltadas aos Jogos Pan-Americanos de 2007.

Após o terceiro mandato, Maia chegou a se candidatar a senador, em 2010, mas não foi eleito. Em 2013, se elegeu vereador, cargo que ocupa até a atualidade.

Primo de José Agripino Maia, senador e ex-governador do Rio Grande do Norte, Cesar também é pai de Rodrigo Maia, político que mais ocupou a presidência da Câmara desde a redemocratização.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *