Fale Conosco

Notícias

Neuralink: o que você precisa saber sobre o implante cerebral

Elon Musk, bilionário fundador da Neuralink, anunciou que o primeiro humano recebeu um implante cerebral da startup no domingo (28). O anúncio foi feito em postagem na rede social X (antigo Twitter) na noite de segunda-feira (29).

“O primeiro humano recebeu um implante da Neuralink ontem e está se recuperando bem. Os resultados iniciais mostram uma detecção promissora de picos de neurônios”, escreveu Musk na publicação.

O que é a Neuralink e o que ela desenvolve?

A Neuralink é uma startup fundada em 2016 por Musk e um grupo de engenheiros. A empresa está construindo uma interface de chip cerebral para ser implantada no crânio. O objetivo é ajudar pessoas com deficiência ou lesões traumáticas a se moverem, se comunicarem, operar telefones e outros aparelhos, além de restaurar a visão.

Para isso, a Neuralink se baseia em tecnologias utilizadas há décadas para implantar eletrodos em cérebros humanos para interpretar sinais e tratar doenças como paralisia, epilepsia e doença de Parkinson. A primeira vez que um dispositivo do tipo foi desenvolvido foi em 2004 e ficou conhecido como Utah array.

Como funciona o implante cerebral?

O implante da Neuralink, chamado “Telepatia“, possui um chip que processa e transmite sinais neurais que podem ser transmitidos para dispositivos como computadores ou telefones. A startup espera que uma pessoa com deficiência possa controlar um mouse, teclado ou envie uma mensagem de texto através dos seus pensamentos.

Para realizar essas ações, o dispositivo conta com mais de mil eletrodos, uma quantidade maior do que outros implantes desenvolvidos até então. Seu alvo são neurônios individuais, o que permitirá um maior grau de precisão para suas funções, caso seja bem sucedido.

Em 2021, Musk utilizou o X para comentar mais sobre o produto que estava desenvolvendo. “O primeiro produto da @Neuralink permitirá que alguém com paralisia utilize um smartphone com a mente mais rápido do que alguém que usa os polegares”, escreveu.

Como foram os testes do implante até agora?

Desde sua fundação, a Neuralink já realizou diversos testes em animais. Em 2021, a empresa divulgou um vídeo que mostrava um macaco jogando um videogame simples depois de receber um implante cerebral.

No entanto, a empresa foi fortemente criticada pelos testes feitos em animais. Segundo a Reuters, o Inspetor Geral do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos abiu uma investigação federal por potenciais violações do bem-estar animal, em 2022. De acordo com documentos analisados pela agência de notícias, a pressa em realizar testes causou sofrimento e mortes desnecessárias – cerca de 1.500 animais teriam sido mortos desde o início dos testes.

Em maio de 2023, a FDA (Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos) autorizou o recrutamento para o primeiro teste em humanos de seu implante cerebral para pacientes com paralisia.

Desde setembro de 2023, quando a empresa abriu as inscrições para voluntários, milhares de pessoas se inscreveram para o teste em humanos, segundo informações da Bloomberg. Podiam se voluntariar pessoas com paralisia causada por lesão na medula espinhal cervical ou esclerose lateral amiotrófica (ELA).

Quanto tempo duram os testes?

O teste tem o objetivo de entender se o dispositivo pode ser seguro em humanos e ajudar a empresa a definir o design certo para o implante. Em novembro do ano passado, a expectativa da empresa era de que 11 cirurgias fossem feitas em 2024, 27 em 2025 e 79 em 2026. Para 2030, são esperadas 22 mil cirurgias, segundo documentos fornecidos pela empresa a investidores.

No total, de acordo com especialistas, pode levar mais de uma década para que a Neuralink obtenha autorização para uso comercial.

Quanto custa o implante da Neuralink?

De acordo com estimativas da Neuralink, o dispositivo tem valor estimado de US$ 10,5 mil, o equivalente a cerca de R$ 51 mil. De acordo com a Bloomberg, o valor deve cobrir exames, mão de obra e as peças utilizadas para seu desenvolvimento.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *