Fale Conosco

Notícias

Neymar ataca Luana Piovani após ser criticado por participar de projeto associado a privatização das praias

O atacante Neymar não gostou das críticas feitas por Luana Piovani sobre seu envolvimento em um projeto imobiliário no nordeste brasileiro. Nesta quinta, o jogador do Al-Hilal e da seleção brasileira a atacou em suas redes sociais.

  • Sem Messi e Cristiano Ronaldo: Disputa pelo título de melhor do mundo entra em nova era
  • Borussia Dortmund x Real Madrid: Onde assistir ao vivo à final da Liga dos Campeões

Neymar publicou vídeos com uma série de declarações machistas. Ele chama Piovani de louca e diz que “abriram a porta do hospício”. Por fim, pede que a atriz pare de falar sobre ele e sugere que ela está velha para querer “lacrar na internet”.

“Rapaziada, acho que abriram a porta do hospício aí, soltou uma louca que não solta meu nome da boca. Quem um trabalha no hospício que ela estava, por favor, vai atrás dela, porque está complicado. Acho que ela esta querendo alguma coisa comigo. Não é possível. Não tira meu nome da boca. Incrível. Quer ser famosa, filha? Seu tempo já foi, já. Era uma ótima atriz. Não tenho nada para falar de você. Mas agora tem que enfiar um sapato na sua boca, porque só fala me***”, disparou o jogador, que continuou:

“E outra coisa: quer falar do meu caráter? Tu nem conhece. Não sabe da onde eu vim, não sabe o que eu passei, não sabe do meu dia a dia, não sabe de nada. Quer falar dos meus filhos? Não tõ te entendendo. Nunca falei nada dos seus filhos, sempre tratei seus filhos muito bem. Que por sinal me adoram, né? Não sei por que. Agora você não pode falar da minha criação, das minhas crias, isso você não pode falar não. Se você quiser o telefone das mães dos meus filhos eu te passo, não tem problema nenhum. Pergunta para elas se eu sou mau pai. Toma vergonha na sua cara. Tem mais de 50 anos e quer vir lacrar na internet. Está pensando que você é quem, menina? Ah, vai pro cara***”, prosseguiu o jogador, que, por fim, ainda publicou um texto com mais ataques:

“Cansado de ficar escutando um monte de merda de gente que não sabe o que eu vivo, nem o que passei! Agora essa louca não solta mais a porra do meu nome… NÃO F*** LUANA, tá cheia de filho aí, cheia de trabalho, vai cuidar da sua vida… Me deixa cara*** Quer arrumar confusão? PÕE A PORRA DO SAPATO NA BOCA E FICA QUIETA!!!”, escreveu o atacante em suas redes sociais.

Neymar fez post no Instagram atacando a atriz Luana Piovani — Foto: Reprodução
Neymar fez post no Instagram atacando a atriz Luana Piovani — Foto: Reprodução

O ataque de Neymar vem após Piovani critica-lo pelo envolvimento no projeto “rota Due caribe brasileiro”, alvo de polêmicas e citado na campanha de ambientalistas contra a chamada PEC da privatização das praias. O empreendimento, uma parceria com a incorporadora Due, pretende erguer 28 imóveis de alto padrão no trecho de 100 km entre os litorais sul de Pernambuco e norte de Alagoas para faturar até R$ 7,5 bilhões.

Um dos vídeos críticos à PEC e ao projeto do qual Neymar é sócio foi publicado pela atriz e comunicadora socioambiental Laila Zaid. O conteúdo chegou até Luana Piovani, que o compartilhou em sua conta no Instagram com um desabafo:

“Meu sonho é que meus filhos esqueçam Neymar. Imagina se isso é ídolo?”, escreveu a atriz, que não parou por aí.

No dia seguinte, após ver a repercussão de sua publicação, Piovani aumentou o tom nas críticas a Neymar. A atriz então estendeu os questionamentos a ele como pai e homem, além de cidadão.

“É de cair o *** da bunda mesmo. Se não bastasse ser péssimo pai, péssimo homem, ele ainda quer ganhar o título de péssimo cidadão. Que vergonha desse ser. Ganância de mer***”, escreveu a atriz em novo story em seu Instagram, compartilhando matéria do O GLOBO sobre a polêmica.

Luana Piovani aumentou o tom das críticas a Neymar em seu Instagram — Foto: Reprodução
Luana Piovani aumentou o tom das críticas a Neymar em seu Instagram — Foto: Reprodução

Devido à repercussão em torno do begócio, a Due incorporadora se pronunciou por meio de uma nota oficial. A empresa diz cumprir as leis ambientais e reforça que o projeto em questão não será impactado pela PEC.

“Garantindo a transparência das nossas comunicações, reforçamos publicamente que a responsabilidade ambiental e social são valores imutáveis dentro da nossa empresa e projetos. Cumprimos as mais rigorosas leis de proteção ambiental e realizamos projetos próprios de preservação do meio ambiente. Tais valores e práticas permanecem e permanecerão. Nossos empreendimentos não sofrerão qualquer impacto, seja positivo ou negativo, com a PEC 03/2022, como levianamente imputado por algumas pessoas em seus canais de mídia social e replicado em alguns veículos de comunicação. Nos colocamos à disposição da sociedade, governos e clientes para mais esclarecimentos pelo email [email protected] “, diz a nota da incorporadora.

O que é a PEC da privatização das praias?

A PEC 03/2022 prevê o fim da propriedade exclusiva da União sobre terrenos de marinha. Ela foi tema de audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado na última segunda-feira. Tem sido defendida por apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro após parecer pela sua aprovação do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), relator da matéria na Casa.

Importante lembrar que Neymar é um simpatizante declarado de Bolsonaro. A ponto de ter pedido votos na última eleição presidencial, vencida pelo presidente Lula.

Os terrenos da Marinha ficam nas praias e nas margens dos rios e lagoas, além dos espaços que contornam as ilhas com águas ligadas aos mares. A proposta pretende repassar a propriedade da União para estados e municípios de forma gratuita, abrindo ainda à possibilidade de repasse a ocupantes privados mediante pagamento.

Hoje, os imóveis construídos nesses terrenos têm escritura. Mas os moradores são obrigados a pagar anualmente à União uma taxa de aforamento sobre o valor do terreno. No regime de aforamento, a propriedade do imóvel é compartilhada entre a União e um particular (cidadão ou empresa).

Isso é dividido na proporção de 83% do valor do terreno para o cidadão e 17% para a União. Por conta dessa divisão, ocupantes destes imóveis pagam, atualmente, duas taxas para a União: o foro e o laudêmio.

Ambientalistas afirmam que o texto do novo projeto dá margem para a criação de praias privadas, além de promover riscos para a biodiversidade. Técnicos do governo também afirmam reservadamente que a PEC pode permitir privatização de praias.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *