Fale Conosco

Notícias

Portos do Paraná exalta portuárias neste Dia das Mães

Além de profissionais dedicadas, cumprem outra jornada cuidando de seus filhos e servindo de exemplo para as futuras gerações

“Parei para pensar e descobri que as mães são portos também”. É assim que a agente portuária, Joici Félix, define sua condição de provedora do João Gabriel há 15 anos e também de portuária há quase cinco. Ela é uma das que fazem parte do time de mamães que estão no dia a dia da Portos do Paraná e também não deixam de cuidar de seus filhos, ou mesmo se preocupar até com aqueles que já estão crescidos e encaminhados na vida. Todas elas são mães e portuárias 24 horas por dia, mas neste domingo (12), terão um dia especial e serão exaltadas por todos seus filhos e colegas da empresa pública.

“A vida materna e profissional muitas vezes parece uma corda bamba, onde equilibrar todas as responsabilidades pode ser desafiador. É reconfortante saber que cada mãe tem a capacidade de encontrar o que funciona melhor para ela e sua família, seja conciliando o trabalho fora de casa com a maternidade ou escolhendo dedicar mais tempo à família. Mas, de uma coisa não tenho dúvidas, a felicidade dos filhos está profundamente ligada à nossa felicidade”, avalia a também agente portuária, Angélica Moscardi, mãe do Arthur e da Laura.

Para a mãe da Mel, a assessora da Diretoria de Desenvolvimento Empresarial, Maria Helena Almeida, ser mãe é uma realização. “Hoje, me sinto realizada como mãe. A minha filha transformou minha vida por completo. É um amor incondicional que transcende todas as dificuldades. Um verdadeiro aprendizado sobre amor, empatia e paciência, mas que eu não troco por nada”, destaca.

Tem que ter muita coragem e resiliência, lembra a advogada e coordenadora de Licitações e Contratos, Stephanie Fonseca, mãe da Luísa e do Felipe. “É como ser lançada em mar aberto. Dá medo. Você não sabe o que vai encontrar, mas você enfrenta. Faz seu melhor para manter-se na superfície, para sobreviver. E, mesmo exausta, você mergulha no amor mais profundo que pode existir. E, com o tempo, você enxerga a terra firme. E aquele amor, como um grande e imponente navio, vai lentamente te levando até o porto. E do cais (e às vezes do caos) você começa a apreciar a jornada transformadora que é a maternidade”, compara.

Além de todas essas responsabilidades, a assessora especialista da Presidência, Raíssa Dantas, busca também ser uma inspiração para o Gabriel, seu filho. “Como mãe, mergulho diariamente em um mar de responsabilidades onde se entrelaçam os compromissos do trabalho e a doce jornada da maternidade. Ser mãe, mulher e profissional é uma jornada de equilíbrio e crescimento constante, onde busco inspirar meu filho com meu exemplo de dedicação e determinação”, diz.

E tem desafios também como aponta a mãe do Joaquim, a agente portuária, Karina Rosa, da Coordenadoria de Assistência Médica e Social. “É um desafio ser mãe, todos os dias aprendo demais com o meu filho. A ter paciência, a perdoar, a amar e nunca você se sente sozinha. Conciliar o papel de mãe e o trabalho não é uma tarefa simples, estar presente nos seus melhores momentos, nas suas conquistas e dedicar atenção a ele exige disciplina para administrar o tempo, que é tão curto”, avalia.

O mesmo pensamento tem a assessora da Diretoria do Meio Ambiente, Inês Fernandes, mãe do Henrique Luís e da Raquel. “Ser mãe portuária envolve uma combinação única de desafios e responsabilidades, temos que encontrar maneiras de equilibrar o trabalho exigente do Porto, um ambiente predominantemente masculino, com o cuidado, atenção e delicadeza necessárias à família”, sublinha.

Por tudo isso, Joici deixa uma mensagem a todas as mães da Portos do Paraná: “Ser mãe é ser abrigo natural, um porto seguro, o lugar de refúgio, amor e segurança. Para as mamães portuárias: Feliz dia das Mães!”.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *